Todos os causos

Esse causo vem de uma história que deve ter passado de geração em geração. Mães e pais contam para os filhos. Avós e avôs para netos, talvez. Em cada ciclo ela se renova, conforme quem ouve – ou lê – e a lição que se pode adquirir dela. “Eu não consigo lembrar quem que contavaContinuar lendo

Essa é uma história daquelas da vida cotidiana e das pequenas belezas que ela tem. Já fazia um certo tempo que a gente queria ter um cachorrinho em casa. Volta e meia a gente se pegava olhando vídeo, fotografia, tudo quanto era coisa de cachorrinho correndo, comendo, dormindo, fazendo careta. Mas a vontade sempre esbarravaContinuar lendo

A bicicleta

Tinha essa descida numa fazenda, descida grande, dessas bem compridas mesmo, de terra batida, super inclinada. Um moço, lá na sua juventude, que morava na tal fazenda, costumava passar por essa descida, às vezes de bicicleta. Em um certo dia, numa dessas descidas, algo de diferente aconteceu…

O causo de hoje é meio história de pescador meio história verídica – não tenho exatamente como saber. Mas é uma daquelas memórias que trazem contentamento através da vida simples e da leveza das coisas. “Esses dias veio um rapaz lá no serviço, com o pai dele. O pai veio mais pra pescar que praContinuar lendo

Essa é uma história engraçada, vivida há pouco tempo e compartilhada com bons amigos, naquela casa peculiar, também conhecida como caixote (se você ainda não a conhece, leia esse texto). Não contamos no último causo, mas o caixote era uma construção de esquina. Ele tinha muros muito baixos e a porta de entrada ficava posicionadaContinuar lendo

A bola de fogo

Esse causo nos traz novamente uma história daquela fazenda do interior de São Paulo. Lá, por vezes, alguns moradores ficavam durante a noite parados em algum canto dos diversos terreiros que a fazenda tinha. Bom, nesse lugar ficavam esses moradores da fazenda, papeando, conversando sobre as coisas do dia a dia, brincando, rindo, enfim, fazendoContinuar lendo “A bola de fogo”

Crocodilo

O causo de hoje é uma história contada em primeira pessoa. Daquelas de coisa vivida na infância, em data e idade meio apagadas pela lembranças, mas que ao mesmo tempo marcam de um jeito que da até pra se transportar pra aquela situação. Pois bem, estava eu aprontada pra sair de casa com a minhaContinuar lendo “Crocodilo”

O Caixote

Bom, esse causo não vai ser de tempos mais antigos, vai na verdade, ser só um pouco atrás, uns 7 anos. Puxa, na verdade já faz um tempo! Uma época mais cheia de esperança, talvez. Uma esperança de jovens recém ingressantes na universidade pública, que saíram de um mesmo cursinho popular, foram para a mesmaContinuar lendo “O Caixote”

Borboleta

Volta e meia esse causo reaparece para mim a partir de pelo menos dois contextos. O primeiro deles, de relação mais direta com o assunto, nas prosas sobre flores e natureza. O segundo, de significado menos preciso, meio solto e escorregadio dependendo do ouvinte, pra falar sobre pequenezas da vida. Desde o crescimento das criançasContinuar lendo “Borboleta”

Galanteio

Esse causo é mais um daqueles que me vieram em forma de prosa, tem o retrato da dureza de outros tempos, do peso do agora, e da saudade que dá da lindeza que a simplicidade da vida tem – basta a gente saber reencontrar. Galanteio: ato ou efeito de galantear, cortejar. “Antigamente, quando os rapazContinuar lendo “Galanteio”

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: